quinta-feira, 1 de dezembro de 2016


Hora do conto



   A Hora do Conto, uma atividade de cunho pedagógico, visa criar e fortalecer os hábitos de leitura nas crianças.
   A partir da história, elas escutam, a sua criatividade solta-se, o imaginário das crianças é libertado e voa em direção aos seus sonhos.
   Para a turma do 3ºano, a história escolhida foi: “O Rato e a Lua”.





1 de dezembro



   A Restauração da Independência é a designação dada ao golpe de estado revolucionário ocorrido a 1 de dezembro de 1640, chefiado por um grupo designado de Os Quarenta Conjurados e que se alastrou por todo o Reino, pela revolta dos portugueses contra a tentativa da anulação da independência do Reino de Portugal pela governação da Dinastia filipina castelhana, e que vem a culminar com a instauração da 4.ª Dinastia Portuguesa - a casa de Bragança - com a aclamação de D. João IV.
   Esse dia, designado como Primeiro de Dezembro ou Dia da Restauração, é comemorado anualmente em Portugal desde o tempo da monarquia constitucional. Uma das primeiras decisões da República Portuguesa, em 1910, foi passá-lo a feriado nacional como medida popular e patriótica.


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

ANTÓNIO GEDEÃO - 24 de NOVEMBRO, 1906





             POEMA DA MEMÓRIA
Havia no meu tempo um rio chamado Tejo
que se estendia ao Sol na linha do horizonte.
Ia de ponta a ponta, e aos seus olhos parecia
exatamente um espelho
porque, do que sabia,
só um espelho com isso se parecia.

De joelhos no banco, o busto inteiriçado,
só tinha olhos para o rio distante,
os olhos do animal embalsamado
mas vivo
na vítrea fixidez dos olhos penetrantes.
Diria o rio que havia no seu tempo
um recorte quadrado, ao longe, na linha do horizonte,
onde dois grandes olhos,
grandes e ávidos, fixos e pasmados,
o fitavam sem tréguas nem cansaço.
Eram dois olhos grandes,
olhos de bicho atento
que espera apenas por amor de esperar.

E por que não galgar sobre os telhados,
os telhados vermelhos
das casas baixas com varandas verdes
e nas varandas verdes, sardinheiras?
Ai se fosse o da história que voava
com asas grandes, grandes, flutuantes,
e poisava onde bem lhe apetecia,
e espreitava pelos vidros das janelas
das casas baixas com varandas verdes!
Ai que bom seria!
Espreitar não, que é feio,
mas ir até ao longe e tocar nele,
e nele ver os seus olhos repetidos,
grandes e húmidos, vorazes e inocentes.
Como seria bom!

Descaem-se-me as pálpebras e, com isso,
(tão simples isso)
não há olhos, nem rio, nem varandas, nem nada.

ANTÓNIO GEDEÃO, in 'POEMAS PÓSTUMOS'


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

A escritora vem à Escola



O Diário da Rapariga dos Saltos
Glória Dias

Neste livro, Glória conta aos fãs um pouco do seu início de vida em Inglaterra e em seguida aborda vários temas que interessam às jovens, falando da sua experiência e dando conselhos sobre (entre outros):
- Inseguranças;
- Como sobreviver à menstruação;
- Peito pequeno;
- Receber notas;
- Como gerir um relacionamento;
- Ansiedade;
- Bullying;
- Faculdade;
- Conselhos para começar um canal no YouTube.

Um livro muito útil e divertido para jovens entre os 13 e os 18 anos. Irá ter vídeos exclusivos sobre os temas abordados no livro.


FEIRA DO LIVRO 2016