sábado, 17 de dezembro de 2011

Eça de Queirós


José Maria de Eça de Queirós nasceu em novembro de 1845, numa casa da Praça do Almada na Póvoa de Varzim, no centro da cidade; foi batizado na Igreja Matriz de Vila do Conde. Filho de José Maria Teixeira de Queirós, e de Carolina Augusta Pereira d'Eça. O pai de Eça de Queirós, magistrado e par do reino, convivia regularmente com Camilo Castelo Branco, quando este vinha à Póvoa para se divertir no Largo do Café Chinês.
Eça de Queirós foi batizado como «filho natural de José Maria d'Almeida de Teixeira de Queirós e de Mãe incógnita» [carece de fontes?], fórmula comum [carece de fontes?] que traduzia a solução usada em casos similares nos registos de batismo quando a mãe pertencia a estratos sociais elevados.
Uma das teses para tentar justificar o facto dos pais do escritor não se terem casado antes do nascimento deste sustenta que Carolina Augusta Pereira de Eça não teria obtido o necessário consentimento da parte de sua mãe, já viúva do coronel José Pereira de Eça. De fato, seis dias após a morte da avó que a isso se oporia, casaram-se os pais de Eça de Queirós, quando o menino tinha quase quatro anos.
Nessa altura, foi internado no Colégio da Lapa, no Porto, de onde saiu em 1861, com dezasseis anos, para a Universidade de Coimbra onde estudou direito. Além do escritor, os pais teriam mais seis filhos.
O pai era magistrado, formado em Direito por Coimbra e ainda escritor e poeta. Em Coimbra, Eça foi amigo de Antero de Quental. Os seus primeiros trabalhos, publicados a avulso na revista "Gazeta de Portugal", foram depois coligidos em livro, publicado postumamente com o título Prosas Bárbaras.
Em 1866, Eça de Queirós terminou a Licenciatura em Direito na Universidade de Coimbra e passou a viver em Lisboa, exercendo a advocacia e o jornalismo. Foi diretor do periódico O Distrito de Évora. Porém continuaria a colaborar esporadicamente em jornais e revistas ocasionalmente durante toda a vida. Mais tarde fundaria a Revista de Portugal
Em 1869 e 1870, Eça de Queirós fez uma viagem de seis semanas ao Oriente. Aproveitou as notas de viagem para alguns dos seus trabalhos, o mais notável dos quais O mistério da estrada de Sintra, em 1870, e A relíquia, publicado em 1887. Em 1870 ingressou na Administração Pública, sendo nomeado administrador do Concelho de Leiria. Foi enquanto permaneceu nesta cidade, que Eça de Queirós escreveu a sua primeira novela realista, O Crime do Padre Amaro, publicada em 1875.
Tendo ingressado na carreira diplomática, em 1873 foi nomeado cônsul de Portugal em Havana. Os anos mais produtivos de sua carreira literária foram passados em Inglaterra, entre 1874 e 1878, durante os quais exerceu o cargo em Newcastle e Bristol. Escreveu então alguns dos seus trabalhos mais importantes, como A Capital, escrito numa prosa hábil, plena de realismo. Manteve a sua actividade jornalística, publicando esporadicamente no Diário de Notícias, em Lisboa, a rubrica «Cartas de Inglaterra». Mais tarde, em 1888 seria nomeado cônsul em Paris.
O seu último livro foi A Ilustre Casa de Ramires, sobre um fidalgo do século XIX com problemas para se reconciliar com a grandeza da sua linhagem. É um romance imaginativo, entremeado com capítulos de uma aventura de vingança bárbara que se passa no século XII, escrita por Gonçalo Mendes Ramires, o protagonista. Trata-se de uma novela chamada A Torre de D. Ramires, em que antepassados de Gonçalo são retratados como torres de honra sanguínea, que contrastam com a lassidão moral e intelectual do rapaz.
Morreu em 16 de Agosto de 1900 na sua casa de Neuilly, perto de Paris. Teve funeral de Estado. Está sepultado em Santa Cruz do Douro.
Foi também o autor da Correspondência de Fradique Mendes e A Capital, obra cuja elaboração foi concluída pelo filho e publicada, postumamente, em 1925. Fradique Mendes, aventureiro fictício imaginado por Eça e Ramalho Ortigão, aparece também no Mistério da Estrada de Sintra. Os seus trabalhos foram traduzidos em aproximadamente vinte línguas.

Cesária Évora - Uma Grande Senhora

Clica para ver :

Como celebrámos o Natal na Biblioteca

A Biblioteca foi decorada com adornos de Natal e, no corredor, colou-se um papel de cenário onde os alunos foram dispondo desenhos com mensagens de Natal.

Uma outra atividade desenvolvida foi a maratona de contos de Natal feita pelos alunos do 6ºe 7ºanos.Na Biblioteca e estes leram e partilharam com os colegas alguns contos de Natal, gentilmente preparados pelas Docentes de Língua Portuguesa ,Isabel Sampaio e Glória Poças.
Em parceria com os Docentes de Educação Especial, foi exposta uma árvore de Natal com material reciclado. A mesma foi enfeitada pelos alunos do 1ºCiclo com materiais feitos nas aulas de Enriquecimento Curricular.

Como vem acontecendo na Quadra Natalícia, a Biblioteca comemorou esta festividade com várias atividades.

domingo, 11 de dezembro de 2011

O Presépio


O primeiro presépio foi feito na Igreja de Santa Maria em Roma.
Rapidamente este costume foi alargado o outras igrejas.
Foi S. Francisco de Assis(1181-1226), porém, o primeiro a representá-lo como a Bíblia descreve a natividade. Uma gruta, a manjedoura, animais e figuras esculpidas.
Esta representação ganhou raízes e tornou-se popular em todo o mundo cristão.

A Missa do galo
A Missa do Galo, também conhecida por Missa da Meia Noite, celebra-se devido ao facto de a tradição dizer que Jesus nasceu à meia-noite. Para os católicos Romanos, este costume de assistir a esta Missa começou no ano 400.
Nos países latinos, esta missa é chamada Missa do Galo, porque, segundo a lenda, a única vez que um galo cantou à meia noite foi na noite em que Jesus nasceu.
Outra lenda muito antiga diz que, antes de baterem as doze badaladas da meia-noite do dia 24 de Dezembro, cada lavrador da província espanhola de Toledo matava um galo em memória daquele que cantou três vezes quando Pedro negou Jesus, por altura sa Sua morte. Depois a ave era levada para a igreja, a fim de ser oferecida aos pobres que, assim, podiam ver melhorado o seu almoço de Natal.
Em algumas aldeias portuguesas e espanholas, era costume levar o galo para a igreja, para que ele cantasse durante a missa. Quando este cantava todos ficavam felizes, pois isso representava o prenúncio de boas colheitas. Se o galo não cantasse era considerado um mau sinal. Mas este costume é muito recente, quando comparado com a Missa do Galo.

Tradições de Natal



Para os crentes a véspera de Natal é a parte mais emocionante da época natalícia, porque anuncia o momento em que podemos começar a celebrar o nascimento de Jesus. É uma antiga tradição dizer que Jesus nasceu no dia 25de Dezembro , exactamente à meia-noite.
Quando os cristãos ouvem os sinos tocar à meia-noite, surge de novo o sentimento de que Cristo está a entrar no mundo e de que o demónio o está a abandonar. É um momento emocional muito importante para aqueles que têm uma fé pessoal forte.
Existe um mito de que, no exacto momento do nascimento de Jesus todos os animais conseguiram de súbito falar e comportar-se como pessoas. Nos campos, viraram-se para Leste e ajoelharam-se a rezar.
Existe também a lenda de que à meia-noite da véspera de Natal todas as abelhas que estavam a hibernar acordariam nos seus cortiços e começariam a zumbir em uníssono o Salmo 100. Ao mesmo tempo as portas do Paraíso abrir-se-iam e, durante alguns instantes, deixariam passar fosse quem fosse (abençoados e pecadores) para entrar directamente no Céu.
A influência de Jesus era tão forte que, quando os sinos tocassem à meia-noite os espíritos malignos seriam incapazes de fazer mal.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Happy Christmas, war is over - John Lennon

1 de dezembro - Restauração da Independência




A equipa da BE, em parceria com a docente de História do 3º Ciclo, Ascensão Saraiva, organizou uma exposição alusiva a esta efeméride.
Foram expostos trabalhos elaborados pelos discentes do ciclo acima referenciado.
A equipa da BE

Oficina de escrita criativa



Esta semana, a equipa da Biblioteca e os docentes da Educação Especial iniciaram a Oficina de Escrita Criativa na Biblioteca Escolar.
Cinco alunos do 6ºG marcaram presença. Após uma introdução inicial e apresentado o tema , estes alunos começaram a criar poemas, a criar os seus acrósticos sobre o Natal.
Foi muito bom terem vindo... voltem sempre!
Esperamos, com a mesma expetativa, mais alunos para brincarem com as palavras e fazerem poemas ou textos criativos. Vai valer a pena.....juntem-se a nós.

Prémio Nobel da Paz 2011


Prémio Nobel da Paz 2011 foi dividido entre três mulheres do oriente médio, hoje dia 10/12/2011, às 15h05min.
Três mulheres que combatem a injustiça, a ditadura e a violência sexual na Libéria e no Iêmen ganharam o prémio Nobel da Paz 2011, neste sábado. A cerimónia aconteceu na capital da Noruega. A presidente liberiana Ellen Johnson Sirleaf, sua compatriota Leymah Gbowee e a iemenita Tawakkul Karman receberam os seus diplomas e medalhas com muitos aplausos na cidade de Oslo. Segundo o presidente do comitê Thorbjoern Jagland, as três mulheres representam a luta pelos "direitos humanos em geral e das mulheres pela igualdade e paz, em particular".

Desde 2004, nenhuma mulher ou sub-saariana africano tinha ganho o prémio. Na ocasião, o comité de honra Wangari Maathai, do Quénia, mobilizou mulheres pobres para combater o desmatamento com plantio de árvores.

Sirleaf foi eleita presidente da Libéria em 2005, depois de ter sido a primeira mulher democraticamente designada à chefia de um país africano, e ganhou a reeleição em outubro.

Aos 39 anos, Gbowee participa de uma longa campanha pelos direitos das mulheres e contra o estupro, desafiando os senhores da guerra da Libéria. Em 2003, ela levou centenas de manifestantes do sexo feminino a fazerem uma "greve de sexo" para exigir o desarmamento rápido de lutadores, que continuam reprimindo as mulheres, apesar de um acordo de paz que deveria ter terminado há 14 anos.

A jornalista Tawakkul Karman, membro do partido islâmico Islah, é a primeira mulher árabe a ganhar o Prémio Nobel da Paz. Ela também lidera o grupo de direitos humanos das mulheres Jornalistas sem Correntes. Ao escolher Karman, o comitê do prémio também reconheceu o movimento Primavera árabe defendida por ativistas muitas vezes anónimos da Tunísia para a Síria.

O prémio Nobel consiste numa medalha de ouro, acompanhada por um diploma e um cheque de 10 milhões de coroas suecas, que corresponde a um milhão de euros. Esse valor será dividido entre elas. Os prémios Nobel de Literatura, Química, Física, Medicina e Ciências Económicas também foram entregues neste sábado, em Estocolmo.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011


Ao menino Jesus


Recebi cinco brinquedos
Mais um casaco comprido.
Pobre menino Jesus,
Faz anos e está despido.

Comi bacalhau e bolos,
Peru, pinhões e pudim.
Só ele não comeu nada
Do que me deram a mim.

Os reis de longe trazem
Tesouros,incenso e mirra.
Se me dessem tais presentes,
Eu cá fazia uma birra.

Às escondidas de todos
Vou pegar-lhe pela mão
E sentá-lo no meu colo
Para ver televisão.

Luísa Ducla Soares

O Gato das Botas

Funny Christmas Vídeo

sábado, 3 de dezembro de 2011

Biblioteca de Livros Digitais

Livros digitais

FEIRA do LIVRO na EB2,3 de Vila Nova de Tazem

Como tem vindo a acontecer na EB 2,3 de Vila Nova, decorreu entre os dias 21 e 25 de novembro, a feira do Livro, vocacionada para toda a comunidade escolar.
Com esta iniciativa, realizada em parceria com o grupo disciplinar de Línguas, a equipa da Biblioteca pretendeu promover o contato dos nossos alunos com os livros e, assim, estimular o gosto pela leitura.
Em simultâneo, e no último dia da feira, realizou-se uma outra actividade dinamizada pela contadora de estórias Milú Loureiro. Tendo como público-alvo os alunos do Pré-escolar e 1ºciclo, a equipa pretendeu dar a conhecer a autora do conto “O esquilo que gostava de livros”.
A feira teve a visita de muitos alunos dos três ciclos de ensino e contou com a presença de alunos do Pré escolar de outras instituições , tais como a Casa do Povo e a Sagrada Família de Lagarinhos que, prontamente , aceitaram o convite da equipa da BE.
O balanço pode ser considerado positivo, atendendo ao número de visitantes e ao número de livros vendidos.

A revolta dos livrinhos

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Milú Loureiro conta estórias aos mais pequenos



Nasceu em Aguiar da Beira nos dias longos de Verão. Depois de concluídos os estudos secundários, rumou à cidade do Mondego. Licenciou-se em Filologia Românica na Faculdade de Letras da vetusta Universidade de Coimbra. A partir daí tem-se dedicado ao ensino, por opção e com paixão.Presentemente desempenha as funções de Professora Bibliotecária na Biblioteca Escolar da EBI/JI Prof. Dr. Ferrer Correia.
Como animadora da leitura, redescobriu o prazer da Literatura Infantil, inventando estórias que conta aos mais pequenos.
Livro publicado : O Esquilo que Amava as Palavras (2010)

O velho que lia romances de amor

Um livro de Luís Sepúlveda.

http://www.youtube.com/watch?v=kVrj1u9EGu0

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Concurso Nacional de Leitura

O nosso Agrupamento vai participar, neste ano letivo, no Concurso Nacional de Leitura no âmbito do PNL (Plano Nacional de Leitura).
O regulamento está com as vossas Professoras de Língua Portuguesa. A Biblioteca Escolar também vos pode ajudar na procura das obras e no esclarecimento do regulamento.
As provas a nível de escola decorrerão no dia 4 de Janeiro de 2012.
Serão apurados 3 alunos do 3º CEB do nosso Agrupamento, para representarem a escola a nível distrital... e se correr tudo bem, mais tarde, a nível nacional.
O que é preciso fazer?
Os alunos do 3º CEB devem ler as obras:
O conto “Civilização”, in Contos,de Eça de Queirós;
“Um fio de fumo nos confins do mar”, de Alice Vieira.
Vem à Biblioteca requisitar o teu livro!
Trabalho colaborativo da BE e de Docentes de Língua Portuguesa

sábado, 19 de novembro de 2011

Alexandre Parafita e o Maravilhoso Infantil

A Literatura Infantil é a vitamina que alimenta a criatividade das crianças. Toda a sociedade que queira ter no futuro cidadãos criativos, cultos e sensíveis, deve fomentar nas crianças de hoje uma boa Literatura Infantil.


Esta é a grande mensagem que atravessa toda a obra de Alexandre Parafita para a infância.O vídeo que aqui se apresenta, com imagens retiradas do facebook (www.facebook.com/alex.parafita) e de páginas web de acções do PNL , procura dar um pequeno testemunho do maravilhoso mundo infantil que os seus livros continuam a construir




quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Como localizar os materiais na Biblioteca

Com exceção dos jornais, revistas e outras publicações periódicas, muitos documentos escritos que pertencem ao fundo documental da biblioteca estão catalogados segundo o sistema CDU (Catalogação Decimal Universal) e estão dispostos nas estantes segundo cores e a ordem de catalogação.

0 Generalidades
1 Filosofia
2 Religião e Teologia
3 Ciências Sociais
4 Classe atualmente não usada
5 Ciências Exatas. Ciências Naturais
6 Ciências Aplicadas. Medicina. Tecnologia
7 Arte. Arquitetura. Recreação e Desporto
8 Linguística. Língua. Literatura
9 Geografia. Biografia. História

Os livros de banda desenhada, tem uma estante própria.
Os restantes materiais, vídeos, CD-ROM e áudio, têm uma catalogação distinta .
Estes materiais estão todos à tua disposição e podem ser pedidos à Professora Bibliotecária, aos outros Professores da Equipa da Bbiblioteca ou ao Assistente Operacional.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

11 de novembro - Dia de São Martinho


Quadras de S. Martinho

Castanhas quentinhas
Ao lume a estalar.
Nós vamos assá-las
Até nos fartar.


Castanhas, castanhas
Que boas que elas são.
Quentinhas, assadinhas
Fazem bem ao coração.


Come-se papas de milho
Romãs e castanha assada,
Bebe-se uns copos de vinho
E às tantas não se dá por nada.


No dia de S. Martinho
Toda a gente sai
Para beber um copinho
E lembrar o rico S. Martinho.


É dia de S. Martinho,
Dia de grande reinação
Há vinho novo fresquinho,
Castanha assada e animação.


Há castanhas para assar
O vinho novo para provar
Vem aí o dia de S. Martinho
E muita alegria para o festejar.

Hoje é onze de Novembro
Dia de S. Martinho
Ainda bem que me lembro
De beber um copo de vinho.


Ele é bondoso
Ele é S. Martinho
Neste dia tão especial
Tu dás-nos castanhas e vinho.

O senhor outono e o lagarto amigo das palavras




Sinopse

Quando vem o outono, o Poeta costuma dizer:- Gosto de fechar os olhos e ouvir um piano a tocar na casa isolada e abandonada que é o meu espírito.
- A mim, o outono faz-me lembrar um lagarto que rasteja no meio das folhas caídas e não se cansa de as pintar com os seus lápis de cor - dizia a Criança que a cada passo se encontrava com o Poeta para conversar e olhar a chegada do outono.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Clara Haddad veio contar histórias aos mais pequenos



Foi um encanto ver e ouvir as histórias da contadora Clara Haddad!
Como sempre ela encanta pequenos e grandes.
A sessão desta manhã, na escola sede do nosso agrupamento, foi um sucesso.
Os alunos ouviram as suas histórias e participaram, sempre que a contadora lhes pediu para o fazerem.
A Professora Bibliotecária da EB2,3 de Vila Nova de Tazem

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Em parceria com os Docentes do 1ºCiclo da EB2,3 de Vila Nova de Tazem, a equipa realizou a primeira sessão do Projeto "Momento do conto", para os alunos deste nível de ensino.

As histórias escolhidas agradaram aos alunos que, de seguida, realizaram várias atividades relacionadas com as nesmas .

A equipa da Biblioteca Escolar



quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Halloween

No dia 31 de outubro, dia de Halloween, a equipa da Biblioteca dinamizou uma atividade para os alunos do 1º, 2º e 3ºciclos : um desfile de "bruxos" e "bruxas".
O mesmo teve uma grande adesão por parte dos alunos.
O júri foi constituído por docentes do Departamento de Expressões, uma Docente do 1º ciclo e uma Assistente Operacional.
No final, os dois melhores, de cada ciclo, receberam um prémio simbólico.
Foi um espetáculo animado e um pouco assustador!!

Parabéns a todos os participantes!

A equipa da Biblioteca






sábado, 29 de outubro de 2011

31 de outubro - HALLOWEEN



Alguns significados simbólicosAbóbora: simboliza a fertilidade e a sabedoria.
Vela: indica os caminhos para os espíritos do outro plano astral.
Caldeirão: fazia parte da cultura – como mandaria a tradição. Dentro dele, os convidados devem atirar moedas e mensagens escritas com pedidos dirigidos aos espíritos.
Vassoura: simboliza o poder feminino que pode efectuar a limpeza da electricida de negativa. Equivocadamente, pensa-se que ela servia para transporte das bruxas.
Moedas: devem ser recolhidas no final da festa para serem doadas aos necessitados.
Bilhetes com os pedidos: devem ser incinerados para que os pedidos sejam mais rapidamente atendidos, pois elevar-se-ão através da fumaça.
AnimaisAranha: simboliza o destino e o fio que tecem as suas teias, o meio, o suporte para seguir em frente.
Morcegos: simbolizam a clarividência, pois que vêem além das formas e das aparências, sem necessidades da visão ocular. Captam os campos magnéticos pela força da própria energia e sensibilidade.
Sapo: está ligado à simbologia do poder da sabedoria feminina, símbolo lunar e atributo dos mortos e de magia feminina.
Gato preto: símbolo da capacidade de meditação e recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade. Plena harmonia com o Universo
Cores:
Laranja: cor da vitalidade e da energia que gera força. Os druidas acreditavam que nesta noite, passagem para o Ano Novo, espíritos de outros planos se aproximavam dos vivos para vampirizar a energia vital encontrada na cor laranja.
Preto: cor sacerdotal das vestes de muitos magos, bruxas, feiticeiras e sacerdotes em geral. Cor do mestre.
Roxo: cor da magia ritualística.
A Biblioteca escolar

24 de outubro - Dia Internacional das Bibliotecas Escolares















A Coordenadora da Biblioteca Municipal de Gouveia dinamizou uma oficina de escrita criativa para os alunos do 5º e 6ºanos.














Foram oferecidos marcadores de livros aos Docentes e Assistentes Operacionais e Técnicos.



























Vencedores do Concurso "A melhor roda dos alimentos"



Os vencedores do concurso foram:
1ºlugar - cartaz nº5 - alunos do 6ºF
2ºlugar - cartaz nº2 - alunos do 6ºG
3ºlugar - cartaz nº1 - alunos do 6ºG

Parabéns !

A equipa da biblioteca escolar

segunda-feira, 24 de outubro de 2011





Nos dias planificados para atividades relacionadas com a alimentação, 17 e 18 de outubro, a equipa da biblioteca contou histórias aos nossos pequenitos!
Para os mais velhos, os do 4º e 5º ano, a história escolhida foi “ O País da Cucanha” de Ilse Losa. Aos mais novos, os alunos da Pré, 1º, 2º e 3º anos, lemos “ A lagarta comilona".
Foram momentos muito agradáveis e todos os alunos participaram com grande entusiasmo.

A equipa da Biblioteca escolar


sábado, 15 de outubro de 2011

16 de outubro - Dia Mundial da Alimentação



A Equipa da Biblioteca da EB2,3 , em parceria com as docentes de Ciências da Natureza ,vai comemorar esta data , realizando várias atividades para os alunos do Pré- escolar, 1º e 2ºciclos.

"História da senhora roda dos alimentos"

Era uma vez uma senhora muito redondinha.
Esta senhora era muito redondinha e muito brincalhona. E sabem qual era a sua brincadeira preferida? Ela adorava brincar com todos os alimentos: com as cenouras, com a maçã, com a cebola, com o nabo, com a abóbora, com o morango, com a couve-flor, com a alface, com a água… com as cerejas, com o ananás, com o pepino, com o pão, com o leite, com o iogurte, com o queijo, com os ovos, com o azeite, com a manteiga.
Certo dia, andava a senhora muito redondinha na sua brincadeira quando decidiu fazer um jogo com todos os alimentos. Os alimentos gostaram muito da ideia, porque também adoravam brincar. Então, a senhora muito redondinha pediu a todos os alimentos que estivessem com muita atenção para explicar o jogo:
- Todos os alimentos do mesmo grupo ou família vão juntar-se para formar um grupo – explicou a senhora muito redondinha.
- Vamos jogar? – Perguntou a senhora roda.
- Sim – responderam todos os alimentos em coro.
De repente, gerou-se uma grande confusão, porque uns alimentos queriam ficar no mesmo grupo e outros não sabiam para onde haviam de ir…
A senhora roda voltou a explicar que só podiam ficar no mesmo grupo, os alimentos parecidos, por exemplo, a maçã, a pêra e outras frutas formavam um grupo…
As cenouras, as couves e outros legumes formavam outro grupo
A massa, o arroz, o pão, outro grupo…
O leite, o queijo, os iogurtes outro grupo
O feijão, o grão, as ervilhas formavam outro grupo…
Os ovos, a carne, o peixe juntos formavam outro grupo..
O azeite, a manteiga, o óleo outro grupo..
Depois desta explicação, os alimentos começaram a juntar-se em grupos…
Assim, a maçã, o morango, a pêra, o ananás e as cerejas juntaram-se e formaram o grupo das frutas…
A seguir, o tomate, a cenoura, o pimento, a couve-flor, a alface, a cebola, a abóbora, o nabo, o pepino juntaram-se e formaram o grupo dos legumes.
Depois, a massa, o arroz, as batatas e o pão formaram o grupo dos hidratos de carbono.
O feijão, o grão, as ervilhas formaram o grupo das leguminosas.
O leite, o queijo e o iogurte formaram o grupo dos lacticínios .
Os ovos, a carne e o peixe formaram outro grupo, o das proteínas .
O azeite, a manteiga e o óleo formaram o grupo das gorduras.
Mas sobrava um alimento…a água. A senhora roda explicou que a água era muito importante e ficava no meio de todos os outros grupos, porque todos os alimentos são constituídos por água.
Quando todos os alimentos estavam juntos em grupos, a senhora roda dos alimentos explicou que cada grupo era muito importante e que se devia comer um pouco de todos os grupos, comendo mais dos grupos maiores e menos dos grupos mais pequenos.
E assim se formou a roda dos alimentos que todos os meninos devem comer diariamente para crescerem saudáveis.

16 de outubro - Dia Mundial da Alimentação



Bom fim de semana

Bom fim de semana é o que desejamos.

Fazemos votos que possa fazer um pic-nic, neste outono magnífico e, claro, coloque no cestinho da merenda, o sabor de um bom livro.

A Equipa da Biblioteca escolar

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Vergilio Ferreira

Vergílio Ferreira nasceu em Melo, aldeia do concelho de Gouveia, na Beira Alta, no dia 28 de Janeiro de 1916, filho de António Augusto Ferreira e, de Josefa Ferreira que, em 1920, emigraram para os Estados Unidos da América, em busca de melhores condições de vida. Então, o pequeno Vergílio é deixado mais os irmãos, ao cuidado de tias maternas. Esta dolorosa separação é descrita em “Nítido Nulo”. A neve - que virá a ser um dos elementos fundamentais do seu imaginário romanesco é o pano de fundo da infância e adolescência passadas na zona da Serra da Estrela. Aos dez anos, após uma peregrinação a Lourdes, entra no seminário do Fundão, que frequentará durante seis anos. Esta vivência será o tema central de Manhã Submersa.
Em 1932, deixa o seminário e acaba o Curso Liceal no Liceu da Guarda. Entra para a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, continuando a dedicar-se à poesia, nunca publicada, salvo alguns versos lembrados em “Conta-Corrente” e, em 1939, escreve o seu primeiro romance, “O Caminho Fica Longe”. Licenciou-se em Filologia Clássica em 1940. Concluiu o Estágio no Liceu D.João III (1942), em Coimbra. Começa a leccionar em Faro. Publica o ensaio "Teria Camões lido Platão?" e, durante as férias, em Melo, escreve "Onde Tudo Foi Morrendo". Em 1944, passa a lecionar no Liceu de Bragança, publica "Onde Tudo Foi Morrendo" e escreve "Vagão "J"" que, publicou em 1946; no mesmo ano em que se casou, com Regina Kasprzykowsky, professora polaca que se encontrava refugiada em Portugal , com quem Vergílio ficaria até à sua morte. Após uma passagem pelo liceu de Évora (onde escreveu o mundialmente conhecido romance “Manhã Submersa”, corria o ano de 1953), fixa-se como docente em Lisboa, lecionando o resto da sua carreira no Liceu Camões.
Em 1980, o realizador Lauro António adapta para o cinema, o romance Manhã Submersa e, Vergílio Ferreira interpreta um dos principais papéis, o de Reitor do Seminário, contracenando assim com outros grandes vultos da cena portuguesa, tais como: Eunice Muñoz, Canto e Castro, Jacinto Ramos e Carlos Wallenstein.
Vergílio Ferreira morreu no dia 1 de Março de 1996, em sua casa, em Lisboa, na freguesia de Alvalade. O funeral foi realizado no cemitério de Melo, sua terra-natal e, a seu pedido, o caixão foi enterrado na ala do cemitério com vista para a Serra da Estrela.


Bibliografia
Até ao Fim
Alegria Breve
Aparição
Apelo da Noite
Até ao Fim
Cântico Final
Carta ao Futuro
Conta Corrente 1 1969-1976
Conta Corrente 2 1977-1979
Conta Corrente 3 1980-1981
Conta Corrente 4 1982-1983
Do Mundo Original
Manhã Submersa
Mudança (brochado)
Para Sempre
Signo Sinal
Em Nome da Terra
Estrela Polar
Pensar
Espaço do Invisível 3
Conta-Corrente 1 (Nova Série)
Conta-Corrente 2 (Nova Série)
Conta-Corrente 3 (Nova Série)
Invocação ao Meu Corpo
Conta-Corrente 4 (Nova Série)
Espaço do Invisível 4
Cartas a Sandra
Interrogação ao Destino, Malra
Espaço do Invisível 5
Escrever

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Pequenina de Antero de Quental


Eu bem sei que te chamam pequenina
E tenue como o véo solto na dança,
Que és no juizo apenas a criança,
Pouco mais, nos vestidos, que a menina...

Que és o regato de agua mansa e fina,
A folhinha do til que se balança,
O peito que em correndo logo cança,
A fronte que ao soffrer logo se inclina...

Mas, filha, lá nos montes onde andei,
Tanto me enchi de angustia e de receio
Ouvindo do infinito os fundos ecchos,

Que não quero imperar nem já ser rei
Senão tendo meus reinos em teu seio
E subditos, criança, em teus bonecos!

Acordo ortográfico (cont.)

Das sequências consonânticas

O Acordo Ortográfico prevê a supressão das consoantes mudas ou não articuladas. Nos casos em que há oscilação da pronúncia, aceitam-se as duas grafias.

1. O c e o p

a) Conservam-se nos casos em que são invariavelmente proferidos nas pronúncias cultas da língua: compacto, convicção, convicto, ficção, friccionar, pacto, pictural; adepto, apto, díptico, erupção, eucalipto, inepto, núpcias, rapto;

b) Eliminam-se nos casos em que são invariavelmente mudos nas pronúncias cultas da língua: ação, acionar, afetivo, aflição, aflito, ato, coleção, coletivo, direção, diretor, exato, objeção; adoção, adotar, batizar, Egito, ótimo;

c) Conservam-se ou eliminam-se facultativamente, quando se proferem numa pronúncia culta, quer geral quer restritamente, ou então quando oscilam entre a prolação e o emudecimento: aspecto e aspeto, cacto e cato, caracteres e carateres, dicção e dição; facto e fato, sector e setor; ceptro e cetro, concepção e conceção, corrupto e corruto, recepção e receção;

d) Quando, nas sequências interiores mpc, mpç e mpt se eliminar o p de acordo com o determinado nos parágrafos precedentes, o m passa a n, escrevendo-se, respetivamente, nc, nç e nt: assumpcionista e assuncionista; assumpção e assunção; assumptível e assuntível; peremptório e perentório, sumptuoso e suntuoso, sumptuosidade e suntuosidade.


2. Conservam-se ou eliminam-se, facultativamente, quando se proferem numa pronúncia culta, quer geral, quer restritamente, ou então quando oscilam entre a prolação e o emudecimento: o b da sequência bd, em súbdito; o b da sequência bt, em subtil e seus derivados; o g da sequência gd, em amígdala, amigdalácea, amigdalar, amigdalato, amigdalite, amigdaloide, amigdalopatia, amigdalotomia; o m da sequência mn, em amnistia, amnistiar, indemne, indemnidade, indemnizar, omnímodo, omnipotente, omnisciente, etc.; o t da sequência tm, em aritmética e aritmético.

ASSIM:
São suprimidas as consoantes mudas ou não articuladas em determinadas sequências consonânticas. Mantêm-se as consoantes que se pronunciam, ou seja, todas aquelas que são articuladas. Assim, há vocábulos com as mesmas sequências consonânticas cuja ortografia muda e outros cuja ortografia não muda.

MUDA
cc → c

accionar → acionar
coleccionar → colecionar
direccional → direcional
fraccionar → fracionar
leccionar →lecionar
seleccionar → selecionar


NÃO MUDAcc = cc

faccioso
ficcional
friccionar
etc


MUDA
cç → ç

acção → ação
colecção → coleção
direcção → direção
correcção → correção
injecção → injeção
selecção → seleção

NÃO MUDAcç = cç

convicção
ficção
sucção
etc


MUDA
ct → t

actual → atual
adjectivo → adjetivo
colectivo → coletivo
directo → direto
electricidade → eletricidade
objecto → objeto
projecto → projeto

NÃO MUDA ct = ct

bactéria
compacto
convicto
facto
intelectual
néctar
pacto
etc

MUDA
pc → c

decepcionar → dececionar
excepcional → excecional
recepcionista → rececionista

NÃO MUDApc = pc

capcioso
egípcio
núpcias
opcional
etc.


MUDA
pç → ç
acepção → aceção
adopção → adoção
decepção → deceção
excepção → exceção
intercepção → interceção
recepção → receção


NÃO MUDA
pç = pç

corrupção
erupção
interrupção
opção
etc.


MUDA
pt → t

adoptar → adotar
baptizar → batizar
contraceptivo → contracetivo
Egipto → Egito
óptimo → ótimo
susceptível → suscetível

NÃO MUDApt = pt

adepto
apto
eucalipto
inepto
rapto
etc.

Estabelece-se o uso facultativo de dupla grafia dos numerosos vocábulos em que se verifica oscilação de pronúncia, ou seja, nos casos em que a norma culta do português padrão produz, para o mesmo vocábulo, uma pronúncia em que a consoante é articulada e outra pronúncia sem registo dessa consoante.

cetro ou ceptro
dececionar ou decepcionar
infecioso ou infeccioso
inseticida ou insecticida
setor ou sector

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Poema - "Lisboa"

LISBOA


No bairro de Alfama os eléctricos amarelos cantavam nas
subidas.
Havia duas prisões. Uma delas era para os gatunos.
Eles acenavam através das grades.
Eles gritavam. Eles queriam ser fotografados!


"Mas aqui", dizia o revisor e ria baixinho, maliciosamente,
"aqui sentam-se os políticos". Eu vi a fachada, a fachada, a fachada
e em cima, a uma janela, um homem,
com um binóculo à frente dos olhos, espreitando
para além do mar.


A roupa pendia no azul. Os muros estavam quentes.
As moscas liam cartas microscópicas.
Seis anos mais tarde, perguntei a uma dama de Lisboa:
Isto é real, ou fui eu que sonhei?


Tomas Tranströmer

Prémio Nobel da Literatura 2011

O poeta sueco Tomas Tranströmer é o Prémio Nobel da Literatura de 2011.

domingo, 2 de outubro de 2011

Outubro - Mês Internacional das Bibliotecas Escolares


Chegou o mês de Outubro.
Comemora-se o Mês Internacional das Bibliotecas Escolares.
Este ano, o lema é : "Biblioteca Escolar.Saber. Um poder para a vida."
Fica atento ao programa das comemorações da tua Biblioteca.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Acordo ortográfico - parte I

Acordo ortográfico 1
Vamos a pouco e pouco publicar sínteses das mudanças ocorridas com a aprovação do acordo, um trabalho de síntese realizado pela equipa da biblioteca.
Do alfabeto e dos nomes próprios estrangeiros e seus derivados

1. Alfabeto
São introduzidas as letras k, w e y, que passam a integrar oficialmente o alfabeto da língua portuguesa. Assim, o alfabeto passa a ser constituído por 26 letras, cada uma delas com uma forma minúscula e outra maiúscula, a saber:
a A á, b B bê, c C cê, d D dê, e E é, f F efe, g G gê ou guê, h H agá, i I i, j J jota, k K capa ou cá, l L ele, m M eme, n N ene, o O ó, p P pê, q Q quê, r R erre, s S esse, t T tê, u U u, v V vê, w W dáblio, x X xis, y Y ípsilon, z Z zê
Obs.:
1 - Além destas letras, usam-se o ç (cê cedilhado) e os seguintes dígrafos: rr (erre duplo), ss (esse duplo), ch (cê-agá), lh (ele-agá), nh (ene-agá), gu (guê-u) e qu (quê-u).
2 - Os nomes das letras acima sugeridos não excluem outras formas de as designar.
As letras k, w e y usam-se:
a) Nos antropónimos de origem estrangeira e nas palavras que deles derivam.
b) Nos topónimos de origem estrangeira e nas palavras que deles derivam, quando não existe a forma portuguesa – Nova Iorque, Bordéus...
c) Nas siglas, símbolos, unidades de medida e unidades monetárias internacionais.
d) Nas palavras de origem estrangeira de uso corrente.

a) Darwin – darwinismo; Kant – kantiano
b) Kosovo – kosovar; Washington – washingtoniano
c) kg (quilograma), km (quilómetro) WC (Water Closet), WWW (World Wide Web)
d) kart, windsurfista, yoga

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Receção aos alunos do 1º e 5ºano na Biblioteca Escolar














A Biblioteca escolar recebeu os alunos do 1º e 5ºanos que, acompanhados pela professoras das turmas ,ali se deslocaram.

A professora bibliotecária apresentou este espaço para que os alunos fiquem a conhecer a organização do espaço, as suas áreas funcionais, a equipa e os serviços que podem usufruir.

O professor segundo Jô Soares

É jovem, não tem experiência.
É velho, está superado.
Não tem automóvel, é um pobre coitado.
Tem automóvel, chora de "barriga cheia".
Fala em voz alta, vive gritando.
Fala em tom normal, ninguém escuta.
Não falta ao colégio, é um "Adesivo".
Precisa faltar, é um "turista".
Conversa com os outros professores, está "malhando" nos alunos.
Não conversa, é um desligado.
Dá muita matéria, não tem dó do aluno.
Dá pouca matéria, não prepara os alunos.
Brinca com a turma, é metido a engraçado.
Não brinca com a turma, é um chato.
Chama a atenção, é um grosso.
Não chama a atenção, não se sabe impor.
A prova é longa, não dá tempo.
A prova é curta, tira as hipóteses do aluno.
Escreve muito, não explica.
Explica muito, o caderno não tem nada.
Fala correctamente, ninguém entende.
Fala a "língua" do aluno, não tem vocabulário.
Exige, é rude.
Elogia, é debochado.
O aluno é retido, é perseguição.
O aluno é aprovado, deitou "água-benta".
É! O professor está sempre errado, mas, se conseguiu ler até aqui, agradeça a ele.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

1º dia de aulas do ano letivo 2011/2012



















Hoje, foi o 1º dia de mais um ano letivo.
Para alguns foi o reencontrar de amigos, de educadores,de professores, de assistentes operacionais..., para outros uma experiência nova.
Ainda houve algumas lágrimas ao canto do olho, mas quase nem se viram porque a vontade de experimentar e descobrir foi maior.
A Biblioteca escolar espera por vós....
Votos de um BOM ANO!

25 de abril

         A  Revolução de 25 de Abril , também conhecida como  Revolução dos Cravos ,  refere-se a um evento da história de  Por...