quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Canção de Outono


                                          Perdoa-me, folha seca,
                                          não posso cuidar de ti.
                                          Vim para amar neste mundo,
                                          e até do amor me perdi.

                                          De que serviu tecer flores
                                          pelas areias do chão,
                                          se havia gente dormindo
                                          sobre o própro coração?

                                          E não pude levantá-la!
                                          Choro pelo que não fiz.
                                          E pela minha fraqueza
                                          é que sou triste e infeliz.
                                          Perdoa-me, folha seca!
                                          Meus olhos sem força estão
                                          velando e rogando áqueles
                                          que não se levantarão...

                                          Tu és a folha de outono
                                          voante pelo jardim.
                                          Deixo-te a minha saudade
                                          - a melhor parte de mim.
                                          Certa de que tudo é vão.
                                          Que tudo é menos que o vento,
                                          menos que as folhas do chão...




                                                                                                         Cecília Meireles



terça-feira, 22 de setembro de 2015

Receção aos alunos do 1ºano

    A equipa da Biblioteca escolar deseja a toda a comunidade educativa um excelente ano escolar e deixa aqui as  fotos da receção aos alunos do 1ºano, no primeiro dia de aulas.









  

Novidades na biblioteca

                                                                       O Pianista   


SINOPSE

   Baseado nas memórias do pianista polonês judeu Władysław Szpilman, o filme retrata a vida de um músico que interpretava peças clássicas numa rádio de Varsóvia quando as primeiras bombas caíram sobre a cidade, em 1939. Com a invasão alemã e o início da Segunda Guerra Mundial, começaram também as restrições aos judeus pelos nazistas.
  O filme acompanha a perseguição que levou à captura e envio da família de Szpilman para os campos de concentração







                                                               Elizabeth -A Idade de Ouro


    Elizabeth já governa a Inglaterra há quase três décadas e, agora, depara-se com um grande inimigo: o Rei Filipe II de Espanha, que, sendo fiel à Igreja Católica, pretende derrubar a protestante Elizabeth e germinar o catolicismo entre o povo inglês de uma vez por todas. Entretanto, para lançar um ataque a Inglaterra, Felipe necessita de um pretexto. Mantida prisioneira pelo trono inglês, a Rainha Mary Stuart da Escócia auxilia o rei espanhol e, com  intrigas e traições, trama uma emboscada para Elizabeth. Durante esses meses, a Rainha inglesa impressiona-se pelas conquistas e aventuras do corsário Walter Raleigh. Será uma paixão capaz de baixar o punho de ferro da Rainha? Ou um amor ajudará nesses tempos difíceis?
 
 





                                                             O Bom Rebelde
 
   Will Hunting (Matt Damon) é um jovem brilhante, mas tal como os seus amigos, passa os dias de trabalho entre o bar local e a esquadra de polícia mais próxima. Ele nunca entrou numa universidade a não ser como empregado de limpeza do M.I.T. No entanto, tem uma memória fotográfica, uma capacidade inacreditável de resolver os problemas matemáticos mais complicados. Com apenas 20 anos, este carismático rebelde não consegue evitar uma sentença de prisão pendente.



 

sábado, 12 de setembro de 2015

LIBERDADE


Ai que prazer 
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
Sol doira
Sem literatura
O rio corre, bem ou mal,
Se
m edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como o tempo não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quanto há bruma,
Esperar por D.Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,

Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

Mais que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca...

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

  LIVRO + do Mês de DEZEMBRO Livro : A Inaudita Guerra Na Avenida gago Coutinho Autor : Mário de Carvalho Editora: Caminho ...